Procure um Médico

Cigarros comprometem pele e cabelos

28 de abril de 2017

Não negligencie sua pele e seu cabelo

Com o passar dos anos o cigarro vai comprometendo a parte vascular periférica (vasinhos da pele) reduzindo o diâmetro dos vasos. Isso diminui a irrigação sanguínea e a liberação de nutrientes, além de reduzir a oxigenação do tecido cutâneo. Suas toxinas também produzem radicais livres que promovem um processo de oxidação das células epiteliais abreviando sua vitalidade. O resultado é a perda da vitalidade, elasticidade, coloração e o surgimento de rugas.

Além disso, o próprio ato de fumar faz com que as pessoas contraiam, repetidamente, os músculos ao redor da boca acentuando ainda mais as rugas nesta região. É bom lembrar também que o cigarro tem efeito cumulativo e, mesmo parando de fumar, nem sempre é possível recuperar totalmente a pele.

Assim como a pele, os cabelos dos fumantes também sofrem. Estudos mostram que os pacientes predispostos à perda capilar de diversas causas podem ter este quadro acelerado quando fumam ficando carecas mais precocemente do que se não fumassem.

E mais: enquanto as rugas de fumantes surgem a partir dos 40 anos. Em não fumantes esta idade é a partir dos 50 anos. Pesquisas mostram que o envelhecimento facial do fumante é 3,5 vezes mais rápido em relação ao não fumante.

O Dr. João Carlos Pereira fala mais sobre este assunto:

Quais são os problemas mais comuns provocados à pele em decorrência do cigarro? Por quê?

A pele se torna mais fina e pálida e a aparência é de uma pele sem vida, opaca e com a presença de um mosaico de rugas finas, entre outros aspectos. Além disso, quem fuma tem mais risco de desenvolver doenças vasculares, cardíacas, respiratórias e o câncer, este último mais agressivo nos fumantes. Segundo dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), cerca de 30% dos casos desta doença poderiam ser evitados caso as pessoas parassem de fumar.

A tão temida celulite também aparece em maior número nas mulheres fumantes, resultado da menor circulação e oxigenação sanguínea.

Como os radicais livres agem na pele?

O processo oxidativo provocado pelos radicais livres nas células cutâneas promove um dano precoce da parede celular e do DNA das células reduzindo seu tempo de vida. Além disso, também acelera a destruição das fibras de colágeno e de elastina. Esse processo é evolutivo e podemos comparar, a grosso modo, como um ferrugem numa barra de ferro que vai corroendo, aos poucos, a sua estrutura até o seu dano final.  Em outras palavras, as células e a pele envelhecem precocemente devido ao dano citado.

Por que a pele dos fumantes se torna menos espessa, perde o brilho e o viço e ganha cor amarelada, às vezes até arroxeada?

Em função da redução da trama vascular superficial (menos irrigação sanguínea), pela falta de oxigenação do tecido e pela impregnação da nicotina.

Por que quem fuma não tem boa cicatrização?

Porque a circulação está reduzida, as células não estão saudáveis e os elementos que participam da cicatrização estão comprometidos. Dificultando assim este processo, motivo pelo qual a maioria dos cirurgiões se nega a realizar uma cirurgia estética se o paciente não suspender o fumo pelo menos 30 dias antes do procedimento.

Pode dar dicas às pessoas que fumam para melhorar o aspecto da pele delas?

– Reduzir ou parar de fumar é a principal dica.

– Terapia injetável ou oral com antioxidantes

–  Realizar atividade aeróbica para melhorar a oxigenação dos tecidos

– Usar cremes que ativam a circulação cutânea

–  Usar cremes antioxidantes

– Os lasers, preenchimentos e toxina botulínica para combater as rugas, flacidez e coloração da pele.

Sinais cutâneos de envelhecimento relacionados aos fumantes:

– Rugas

– Flacidez

– Palidez

– Pés de galinha

– Rugas ao redor dos lábios (código de barras)

 

Posted in Blog by admin | Tags: ,